terça-feira, 1 de agosto de 2017

Animais silvestres e exóticos escondem sintomas?



Os animais silvestres e exóticos estão cada dia mais presentes nas nossas casas, sejam aves como calopsitas e papagaios, répteis como cobras e cágados, mamíferos como coelhos e furões, ou menos convencionais como aranhas e esquilos voadores. A companhia de um coelho ou calopsita está se tornando tão comum quanto a companhia de um cachorro ou gato.

Boa parte desses animais são naturalmente presas e não predadores. Mas por que interessa saber se eles são presas ou predadores? Esses animais, por mais domesticados que sejam sempre mantém o instinto de defesa, e no caso das presas é esconder sintomas de doenças. É inteligente não demonstrar fraqueza? Em um ambiente selvagem, SIM! Todo predador irá preferir caçar um animal mais fraco e lento, pois exige menos esforço e riscos na caçada. O problema surge quando essa presa está em nossa casa doente, e caso a pessoa não esteja atenta só perceberá o problema quando é tarde demais.

Para quem tem a companhia de um animal desses, a observação deve ser diária, e ao menor sinal de mudança nos hábitos e atividades deve-se procurar um médico veterinário especializado com urgência. São incontáveis os casos de animais que chegam nas clínicas doentes há vários dias em que a pessoa percebeu o problema de maneira tardia, não havendo mais nada a ser feito.

Se o seu coelho parou de comer, sua calopsita está sonolenta ou o jabuti parou de defecar, não espere a melhora por conta própria, pois provavelmente isso não acontecerá. O que queremos é que eles vivam o maior tempo possível com saúde, aproveitando ao máximo a vida!


M.V.Anderson Nogueira Palma

Nenhum comentário:

Postar um comentário